O Yin-Yang e os 8 Trigramas

Yin e Yang são conceitos presentes na tradição filosófica e religiosa da China que expõem a dualidade de tudo que existe no universo. Descrevem as duas forças fundamentais opostas e complementares que se encontram em todas as coisas: o Yin (preto) é o princípio feminino, a água, a passividade, escuridão e absorção. O yang (branco) é o princípio masculino, o fogo, a luz e atividade.

trigramas

Os Trigramas (卦) são desenhos que correspondem às 8 possibilidades de combinação de Yin Yang em três linhas. As linhas inteiras,  , simbolizam as qualidades do chamado princípio yang, ou seja, o ativo, o positivo, o céu, o homem, o luminoso, o quente, o firme. As linhas interrompidas,  , simbolizam o princípio yin, cujos atributos são: receptivo, negativo, terra, mulher, sombrio, frio, maleável.

111111111

Anúncios

O Uso de armas no Wing Chun

Apesar de o Sistema Wing Chun ser focado no combate corpo a corpo, nos seus níveis complementares (quinta e sexta formas) são introduzidos treinos com dois tipos de armas bastante antigas, que são o Bastão de Seis pontos e Meio e as Facas Borboletas ou faca de oito cortes. E mesmo não sendo comum (ou prático) o uso dessas armas nos dias atuais, as mesmas não foram abandonadas nos treinos das escolas tradicionais dessa arte marcial, tendo em vista que o treinamento com essas ferramentas coloca o aluno diante de situações de imprevisibilidade e até mesmo de ameaça de morte, exigindo movimentos ainda mais precisos, tendo em vista que não haveria uma segunda chance para se recuperar.  Além disso, contribuem para melhorar a estabilidade da posição, os movimentos corporais, desenvolve a resistência dos punhos, reforçando o poder dos dedos, das mãos, bem como dos ombros e a flexibilidade do corpo.

Bastão de 6 Pontos e Meio (Luk Dim Bun Gwan- 六點半棍)

 

Também conhecido como “Bastão do Dragão”, tem o comprimento de aproximadamente 3 metros e é a primeira das formas com armas (nível 5 do Wing Chun). Sobre a origem do nome, existem duas interpretações apresentadas entre as diversas famílias/escolas. A primeira delas diz que a forma “Luk Dim Bun Gwan” consistia de “6 (seis) Técnicas e Meia”, sendo que a “meia técnica” era um movimento rápido “de cima para baixo” no final da forma. Já a segunda afirma que não são seis técnicas e meia, mas seis conceitos que podem ser aplicados em um número infinito de técnicas. Assim, não haveria uma “meia técnica”, e que o conceito de “meio” significa um domínio das seis técnicas básicas, resultando numa habilidade de fluir de uma para a outra de forma natural.

Independente da interpretação, o bastão é uma arma pesada, mas possui técnicas rápidas, marcantes e poderosas que focam diretamente no adversário, exigindo assim que não haja desperdício de movimento.

 Facas de Oito Cortes (Bart Cham Dao – 蝴蝶雙刀)

(Uso livre, Sifu Cemil Uylukcu)

Chamadas de “facas borboletas”, possuem uma variação de comprimentos, mas em média têm cerca de 40 centímetros (segundo algumas famílias, o tamanho ideal seria a mesma medida do antebraço do usuário). Muitas pessoas acreditam, erroneamente, que a origem do nome dessa arma vem da quantidade de partes que a forma possui, no entanto, se refere ao número de ângulos diferentes dos cortes dentro da forma (oito).

Essa forma é ensinada no final do curso do Sistema Wing Chun, pois exige que o praticante tenha uma sólida compreensão de todas as formas anteriores, uma vez que as técnicas de faca seguem as técnicas de braço. Entre elas estão inclusos cortes, estocadas, bloqueios semelhantes às técnicas de braço, socos com a faca e técnicas curtas de cotovelo.

Todas as técnicas, teorias e princípios estabelecidos com o treino das facas de oito cortes podem ser facilmente adaptadas para qualquer arma curta, como por exemplo, bastões facas de cozinha ou até mesmo espadas.

Nomenclatura das principais técnicas de mão do Wing Chun- Parte 2

Em postagem anterior, foram apresentados os termos referentes aos nomes das posições de mãos no Wing Chun e, para dar continuidade à nomenclatura das principais técnicas de mãos, serão apresentados a seguir os nomes dos principais movimentos dos membros.

6310223_origJUM SAU (jum sau- 枕手) Também chamado de Chum Sao ou ainda JAM SAU e Cham Sao, significa “mão que afunda”, e é uma técnica de deflexão projetada para criar pequenas aberturas para um ataque. Contando com movimentos rápidos do pulso, o Jum Sau pode criar uma pequena abertura para um soco com a mesma mão. A força do Jum Sau vem da compreensão de quanto abertura é realmente o suficiente para que seja feito o ataque. Geralmente o adversário nem espera o golpe, visto que a abertura do Jum Sau é pequena, mas suficiente.

ip-ching-gaun-sauGAUN SAU (gang sau- 耕手) conhecido como braço que cultiva ou que separa. Essa técnica é utilizada como uma manobra de bloqueio de nível médio- baixo, a fim de parar socos nas costelas ou chutes de nível médio, por exemplo. O Gang Sau é frequentemente combinado com um soco, a fim de bloquear e contra-atacar simultaneamente.

JUT SAU (jut sau- 窒手) Jut Sau é técnica de desvio curto usado no Wing Chun para lidar com socos. Jut Sau é semelhante a um Pak Sau só que utiliza o interior do pulso, em vez da palma da mão para desviar. O cotovelo deve ser mantido mais baixo do que o pulso.

HUHuen_SaoEN SAU (huen sau- 圈手)  A mão circular. Ela é utilizada para se mover de forma segura para o interior ou exterior da guarda do adversário, particularmente durante o Chi Sau.

tech_4_lgLAP SAU (laap sau- 臘手) Mão que puxa, que agarra. Esta técnica ofensiva é projetada para simplesmente abrir defesas. O Lap Sau  usa a mão que faz contato com o antebraço do oponente, similar ao Pak Sau, no entanto, em vez de empurrar os braços contra o adversário, puxa o braço adversário para longe. Isso pode criar uma oportunidade para o usuário atacar. Tem maior efeito quando o praticante executa rapidamente o Lap Sau e muda rapidamente para outra técnica.

PAK SAU (paak sau- 拍手) “Mão de tapa” é uma técnica de aprisionamento projetadav2p8n2 para desabilitar o uso de um braço. No entanto, é usada mais frequentemente de forma defensiva para parar os ataques. Como o nome indica, o Pak Sau é um tapa. Em vez de um tapa no rosto, o Pak Sau é um ataque de mão aberta que utiliza as mesmas forças que seriam empregadas em socos. Quando feito corretamente, o Pak Sau faz contato com o braço do oponente e o força contra seu próprio corpo. Idealmente, um praticante de Wing Chun pode prender ambos os braços, forçando um membro sobre o outro e pressionando ambos contra  o corpo.

TOK SAU (tok sau- 托手) A “mão de levantamento” pode ser usado para levantar a guarda do adversário no cotovelo, a fim de atacá-los ou tirar seu de equilíbrio.

chum-kiu

LAN SAU (laan sau- 拦手) O “Braço de Obstrução” é um bloqueio horizontal com o braço. É parecido com o Bong Sau mas ao contrário dessa outra técnica, o antebraço é nivelado com os ombros e mais ou menos paralelo ao corpo.

TIE SAU (tai sau- 提手)  Braço de levantamento é um Tie_Saomovimento encontrado na primeira forma e utiliza energia  para bloquear de baixo para cima sem dobrar o cotovelo ou a retirar o braço.

JIP SAU (jip sau- 接手) Significa “controlando a ponte” e é uma técnica de quebra de braço.

Gum_SaoGUM SAU (gum sau- 揿手)  Signifca “Mão que pressiona” e é usado para desviar  ataques baixos como chutes e golpes de joelho para as costelas. Ele também é usado para prender as mãos dos oponentes em Chi Sau.

grand-master-cheung-bil-jeeBIU SAU (biu sau-镖手)  Em uma tradução livre, Dedos Penetrantes (ou empurrados). É um dos muitos movimentos do Wing Chun que podem ser utilizados tanto como defesa ou ataque. Ele pode ser usado para desviar qualquer ataque em torno da altura do ombro ou de cima. Ou ainda pode ser usado para atacar aos olhos e garganta.

Títulos da linhagem Familiar no Wing Chun

historywingchun(1)

Tradicionalmente, em qualquer parte do mundo , é comum nas artes marciais o uso de nomenclaturas na língua mãe dessa arte.  No Wing Chun, por ser um estilo desenvolvido na região sul da China, os termos que nomeiam as formas, conceitos, tratamentos e ferramentas são apresentados em cantonês. Alguns desses termos também são usados no Jeet Kune Do (às vezes com significados diferentes).

A seguir, serão apresentados os principais termos referentes à  forma de tratamento na hierarquia usada pelos membros de uma família tradicional de Wing Chun.

SIDAI (si dai – )

Designa os praticantes mais novos (irmãos) na hierarquia da família. Aqueles que têm menos experiência que você.

SIMUI ( si mui –)

Designa as praticantes mais novas (irmãs) na hierarquia da família. Aquelas que têm menos experiência que você.

SIHING (si hing –)

Designa o irmão mais velho. Aquele que tem mais experiência e tempo de treino que você.

SIJE ( si je –)

Designa a irmã mais velha. Aquela que tem mais experiência e tempo de treino que você.

SIFU (si fu –)

Designa o Mestre. É aquele que possui experiência e irá passar os ensinamentos dentro da família (pai).

SISUK ( si suk –)

É o irmão mais novo (Sidai) do Sifu

SIBAK (si baak –)

É o irmão mais velho (Sihing) do Sifu

SIGUNG ( si gung –)

Designa o Mestre do Sifu, a pessoa que transformou outra em mestre, quem deu os valores morais, marciais e éticos para que seu professor se tornasse Sifu

SITAIGUNG (si taai gung –师太)

É o Grão- mestre (bisavô ou mestre do mestre do Sifu)

SIJO (si jou –)

Designa o Mestre do Sitaigung

As Seis Formas (Níveis) do Wing Chun

O sistema de luta Wing Chun possui formas (ou níveis), que são sequências ordenadas de movimentos que servem para dar coordenação corporal. A ordem e o número de formas podem diferenciar nas diversas famílias de Wing Chun, mas tradicionalmente elas são em número de seis, sendo 4 desarmados e 2 com armas, como descrito a seguir.

1º Nível: Siu Lin Tao (Pequena Ideia Inicial)

O praticante aprende a base, aprende a caminhar com a base, aprende a dar o soco do Wing Chun, que se executa usando a estrutura óssea, aprende alguns exercícios (10 no total) que lhe servirão de alicerce para os outros próximos 3 níveis. Neste nível o praticante treina sozinho (sem parceiro), terminando o nível com o aprendizado da forma do Siu Lim Tao.

2º Nível: Chum Kiu (Procurando a Ponte)

No segundo nível o praticante começa a treinar com um parceiro, executa exercícios básicos, seqüencias de golpes, defesas, postura e introdução ao Chi Sao, terminando o nível com a forma do Chum Kiu. Nessa fase é ensinado como controlar braços e pernas para acertar os pontos vitais no centro do inimigo. Para isso, são propostos exercícios para deixar a energia corporal ainda mais dinâmica, como por exemplo, movimentando-se em volta do oponente. Outro ensinamento desse nível é olhar para o inimigo de outros ângulos, procurando sempre o ponto fraco. Na prática, desenvolve o equilíbrio dinâmico do corpo do estudante, aprendendo como sincronizar as mãos e as pernas. O conceito do Chun Kiu ensina o estudante a aprender a fechar as guardas durante uma luta.

3° Nível : Biu Gee : (Dedos Penetrantes)

O terceiro nível do Wing Chun é o que realmente termina a preparação do praticante para um combate corpo a corpo. Esse nível focaliza os pontos do praticante, termina a conclusão dos princípios do Chi Sao terminando o nível com a forma do Biu Gee. Nesse nível o praticante aprende a gerar força em um espaço muito pequeno com ajuda de várias técnicas, entre as quais se encontra o famoso soco de uma polegada.

4° Nível: Moy Yat Jong: (Boneco de Madeira)

O boneco de madeira ajuda a corrigir muitas coisas no praticante, tais como postura, base, agilidade, direção dos golpes e ajuda a projetar-se em uma luta. Durante essa fase acontecem treinos de percepção (com os olhos vendados), e treinamento para aprimorar o uso do chute na batalha. É durante esse nível também que se ensina a controlar a energia interior; e só depois desse ensinamento, que segredos como o do lendário toque da morte são passados para frente.

 5° Nível: Luk Dim Boon Kwan: (Bastão de seis pontos e meio)

Pode-se dizer que o quinto nível é um nível complementar, não interferindo muito no combate corpo a corpo, pois ele ensina a lutar com uma arma pesada e longa, o bastão de seis pontos e meio tem, que tem aproximadamente 3 metros de comprimento; uma arma para ser usada de longe e com muita força. Os treinos são em dupla, praticando como projetar energia e prever possíveis ameaças. O bastão possui técnicas rápidas, marcantes e poderosas. Cada técnica foca diretamente no adversário, sem desperdício de movimento. O peso do bastão contribui para melhorar a estabilidade da posição e movimentos corporais, reforçando o poder dos dedos, mãos, punhos, ombros e corpo como um todo.

6° Nível: Baat Jaam Do: (Faca de 8 Cortes)

325033_330518630294308_1173919804_o

O sexto nível do Wing Chun também é um nível complementar que praticamente não interfere no combate corpo a corpo. Ele ensina a lutar com uma arma curta, para ser usada de muito perto, a faca de oito cortes (faca borboleta), que é curta e leve, porém fatal. As técnicas, teorias e princípios estabelecidos, podem ser facilmente adaptadas para qualquer arma curta tipo bastão, faca de cozinha ou até mesmo uma espada.